Demanda por córnea quase dobra no país

‘Setembro Verde’ aborda a doação de órgãos em geral, orientando a população sobre a importância do tema

De acordo com a Agência Brasil, órgão público de notícias, a demanda, especificamente, por transplante de córnea no Brasil dobrou ao longo dos últimos cinco anos. Em 2019 eram 12.212 pessoas na fila e até maio deste ano cerca 24 mil e 300 pacientes estão na espera. As campanhas para doação do órgão são realizadas durante todos os meses e são intensificadas no ‘Setembro Verde’ que aborda os transplantes de maneira geral. A Sociedade Mineira de Oftalmologia (SMO) reforça o movimento orientando a população sobre a importância de ser um doador.

Um dos entraves tanto para o transplante de córnea quanto de outros órgãos é que, desde o desaceleramento da pandemia da Covid-19, o volume de procedimentos não retornou ao normal. Segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), o total de intervenções feitas no Sistema Único de Saúde (SUS) em 2022 é menor do que o que era executado no início da década passada. O diretor da Associação Médica de Minas Gerais (AMMG) e da SMO, Luiz Carlos Molinari, explica que a cirurgia na córnea pode recuperar em mais de 90% a visão do paciente com alguma deficiência visual.

Molinari ainda esclarece que a córnea é um tecido transparente que fica na parte da frente do olho que pode ser comparada ao vidro de um relógio ou a uma lente de contato. “Se a córnea embaça a pessoa pode ter a visão bastante reduzida ou, às vezes, até perder a visão”, acrescenta. Conforme ele, a decisão de transplantar um paciente ocorre quando todos os outros tratamentos já não são eficientes para manter a qualidade de vida e, nesse caso, resolver o problema visual.

Dados da CBO de maio deste ano mostram que São Paulo contabiliza nove unidades de transplante e responde por um terço das cirurgias de córnea: foram 29,9 mil intervenções entre 2012 e 2022. Em seguida está Pernambuco com 5770 procedimentos, Minas Gerais com 5696, Paraná com 4946 e Ceará com 4727. Na outra extremidade estão Tocantins, Acre, Rondônia, Alagoas e Paraíba com respectivamente 145, 237, 569, 625, e 1115 transplantes de córnea. Em todo o país, o Ministério da Saúde informa que 24 estados possuem pelo menos um banco de tecidos oculares na rede pública, exceto Acre, Amapá e Roraima.

“Deixar claro que a pessoa é um possível doador de órgãos é extremamente importante, assim como orientar as famílias sobre a difícil decisão no momento da perda de um ente querido”, salienta Molinari. Para ele também é necessário lembrar a necessidade de equipes bem treinadas para a retirada do órgão em tempo hábil para o transplante e a boa comunicação entre as instituições responsáveis por todo o processo. Em Minas Gerais, a fila de espera e outras informações ficam a cargo do MG Transplantes.

O CURSO DE OFTALMOLOGIA NA ATENÇÃO BÁSICA é um evento destinado a acadêmicos de medicina e médicos que desejam ampliar os conhecimentos sobre oftalmologia na atenção básica.

O evento contará com aulas variadas ministradas por palestrantes renomados.

O curso ocorrerá em formato presencial nos dias 01 e 02 de setembro de 2023, na sede da Associação Médica de Minas Gerais (AMMG).

Faça sua inscrição clicando no link!

Doença afeta milhares de brasileiros e pode levar a problemas mais sérios da visão

Você já sentiu aquela sensação de olho seco, provocando muitas vezes dores e a sensação de areia ao enxergar? Julho é lembrado como o mês do ‘Olho Seco’ e a sede da Associação Médica de Minas Gerais é iluminada de azul, alusivo a cor turquesa que celebra o tema. Em parceria com a Sociedade Mineira de Oftalmologia (SMO), a campanha tem como objetivo alertar e combater uma doença que atinge 18 milhões de brasileiros, segundo a Associação Brasileira de Portadores de Olho Seco (APOS), o que representa entre 13 e 24% da população no país que sofrem com alterações na produção de lágrimas. Essa é uma condição relativamente comum, caracterizada por composição anormal do filme lacrimal e inflamação da superfície ocular. Estima-se uma prevalência mundial estimada de 5% a 50%.

De acordo com o diretor da SMO e da AMMG, Luiz Carlos Molinari Gomes, isso inicia um ciclo vicioso de inflamação e dano da superfície ocular que pode prejudicar a qualidade de vida e a visão dos pacientes afetados. “Muitos fatores podem contribuir para o desenvolvimento da doença, incluindo as doenças oculares e sistêmicas, o uso de medicamentos tópicos e sistêmicos, as condições ambientais, o uso de lentes de contato, a má qualidade do ar, o tabagismo, a história médica pregressa, a poluição e pós operatórios de cirurgia oculares.”

Molinari explica que é uma causa comum de visita ao oftalmologista, afetando mais mulheres que homens, associada a sintomas como visão borrada, desconforto ocular e sensação de ressecamento. Dentre os sintomas estão: ardor, irritação, sensação de areia nos olhos, dificuldades para ficar em lugares com ar-condicionado ou em frente ao computador, olhos embaçados ao final do dia, coceira, vermelhidão, lacrimejamento excessivo e sensibilidade à luz.

O especialista explica que pelo fato do distúrbio ser crônico, o tratamento geralmente é de longo prazo e pode utilizar intervenções farmacológicas e não farmacológicas para abordar todos os componentes etiológicos. “O gerenciamento a longo prazo pode ser desafiador e, na maioria das vezes, deve envolver o encaminhamento de um oftalmologista. No entanto, os médicos de cuidados primários são, frequentemente, os primeiros a atender os pacientes com a doença e, de maneira importante, fornecem diagnóstico inicial e educação preliminar do paciente sobre o processo da doença. Eles devem considerar a prescrição de medicamentos com menos efeitos na superfície ocular sempre que possível em pacientes com risco ou com doença de olho seco existente.”

O diretor reforça que o manejo bem sucedido da doença do olho seco geralmente requer o uso de várias terapias farmacológicas e/ou não farmacológicas, bem como modificações ambientais e de estilo de vida, para mitigar as etiologias subjacentes e restaurar a homeostase do filme lacrimal. “O problema pode estar ligado a outros fatores como o uso exagerado de tecnologias como smartphones e computadores.” Além disto, o médico afirma que a expectativa de vida aumentou, expandindo as doenças crônicas, deficiência de vitaminas e a ingestão de medicamentos diuréticos, antidepressivos e anti-histamínico. Ele alerta ainda para a necessidade de procurar um médico oftalmologista para obter um diagnóstico correto e identificar as causas da doença.

É com imensa satisfação que a Sociedade Mineira de Oftalmologia (SMO) realiza no dia 09 de agosto, quarta-feira, às 19h30, realiza mais uma edição do SMO TALKS! O evento conta com o apoio do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), Associação Médica de Minas Gerais (AMMG) e Abbvie.

Nesta edição, teremos as palestras “Oclusão Venosa Retiniana”, com o Dr. Jacques Houly, e “Abordagem prática da DMRI neovascular”, ministrada pelo Dr. Frederico Braga. Teremos ainda a participação dos diretores da SMO, Breno de Mello e Luiz Carlos Molinari, como debatedores.

O evento é aberto a toda comunidade médica e será transmitido ao vivo através da plataforma ZOOM.  Participe através do LINK. Não perca!


Confira como foi:

Após a formatura, a busca pelo primeiro emprego do recém-formado em medicina pode ser acompanhada por um misto de alegria, ansiedade e até mesmo sensação de insegurança. Pensando nisso, a Sociedade Mineira de Oftalmologia (SMO), com apoio da SAMMG e da AMMG, criou a Mentoria para Médicos Recém-formados, com o objetivo de apoiar e ajudar médicos que se graduaram recentemente, independente da especialidade escolhida, a esclarecer eventuais dúvidas que possam vir a surgir neste momento tão significativo e desafiador.

Confira:

Texto retirado da Jornal Jota Zero ed. 202


Depois de ocupar a vice-presidência da entidade por dois anos, Breno de Mello Vitor é o novo presidente da Sociedade Mineira de Oftalmologia (SMO). Tem como colegas de diretoria Marcos Pereira Vianello (vice-presi-dente), Luiz Carlos Molinari Gomes (secretário geral) e Wesley Moreira (tesoureiro).

O novo presidente da SMO é especialista em córnea, catarata, lentes de contato e cirurgia refrativa. Tem MBA em gestão hospitalar e atua como revisor da publicação e-Oftalmo, do CBO.

O foco de sua gestão à frente da SMO será manter o combate ao exercício ilegal da Medicina e retomar a realização de eventos presenciais, tanto para o público em geral quanto para os médicos oftalmologistas. Além disso, vai tomar medidas para garantir a saúde financeira da entidade.

No mês de abril, especialistas fazem um chamado para o cuidado com a saúde dos olhos. Quem cuida da visão é o médico oftalmologista.

Oftalmologistas chamam a atenção, no mês de abril, para a importância do diagnóstico precoce com a visão e a prevenção à cegueira. O diretor da Sociedade Mineira de Oftalmologia (SMO), Luiz Carlos Molinari Gomes, faz um alerta para que os cuidados com a avaliação, prescrição e tratamentos só podem ser feitos com um médico especialista. “O diagnóstico de doenças oculares e a indicação seja de óculos, lentes de contato ou mesmo medicamentos, devem ser conduzidos pelo profissional formado em medicina e com obtenção do título de especialista na área.”

A Organização Mundial de Saúde (OMS) sugere como ideal a proporção de um oftalmologista para cada 20 mil habitantes. De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), o Brasil concentra mais da metade de todos os oftalmologistas da América do Sul, representando um dos maiores contingentes de especialistas no mundo. Cerca de 480 novos especialistas completam sua formação a cada ano.

Molinari ressalta que, na maioria das regiões, há uma proporção superior ao ideal, garantindo uma situação privilegiada no cenário mundial. “Entretanto, ainda se percebe uma distribuição desproporcional população/médicos entre as regiões. Há um grande número de municípios que contam com atendimento oftalmológico sazonal o que, apesar de não ser ideal, consegue diminuir a demanda reprimida local. As áreas, não cobertas regularmente por médicos oftalmologistas, são motivo de frequentes campanhas de atendimento populacional que visam resolver problemas pontuais.”

De acordo com o especialista, a atenção com a saúde ocular deve acontecer durante todas as fases da vida. Tem início na gestação, nos cuidados com a mãe durante o pré-natal, e nos recém-nascidos submetidos ao teste do olhinho, capaz de detectar, ainda na maternidade, doenças como catarata e glaucoma congênitos, tumor e outros problemas oculares. “O uso de óculos falsificados, a prescrição de óculos de grau por não médicos, o tempo exagerado de tela, a administração de medicamentos sem prescrição ou de uso caseiro, também podem levar à cegueira. Vale lembrar que é possível encontrar atendimento gratuito nos postos de saúde da rede pública, portanto, não há desculpa para não cuidar da visão.”

Molinari explica que, alguns problemas demandam maior atenção, como usuários de lentes de contato; pacientes que passaram por cirurgia refrativa; portadores de miopia; glaucoma de difícil controle; portadores de retinopatia diabética – pacientes com diabetes têm 40% de chances de ter glaucoma e 60% de desenvolver catarata –; pessoas com degeneração macular relacionada à idade (DMRI), que é uma perda progressiva da visão central, e a catarata, condição comum que ocorre com o envelhecimento. “Nestes casos, as consultas com o médico oftalmologista devem ser regulares, para acompanhamento, e não apenas visitas anuais. É possível prevenir e tratar muitas enfermidades, e quando o cuidado é iniciado precocemente, as chances são ainda maiores”, orienta.

Dados da saúde ocular

  • A estimativa mundial da deficiência visual é de 36 milhões de pessoas cegas;
  • Cerca de 217 milhões de pessoas com deficiência visual moderada ou grave e 188 milhões de pessoas com deficiência visual leve no mundo;
  • No Brasil, cerca de 3 % da população apresenta deficiência visual moderada, grave ou cegueira;
  • Muitas das causas de deficiência visual irreversível estão relacionadas ao aumento da expectativa de vida da população;
  • Na população infantil verifica-se aumento crescente de deficiências múltiplas relacionadas ao maior tempo de tela;
  • Mais de 82% de todas as pessoas cegas no mundo são maiores de 50 anos.

Garanta mais qualidade e conforto para a visão

  • Durma no mínimo oito horas por dia, menor quantidade pode causar vermelhidão ocular, vista cansada e inchaços;
  • Evite o consumo de bebidas alcóolicas, elas produzem resíduos tóxicos, o que favorece o envelhecimento precoce das células oculares, além da desidratação;
  • Tenha alimentação balanceada. A ingestão de vegetais verdes escuros é indicada, pois eles fornecem vitaminas benéficas para a retina;
  • Não esqueça os óculos escuros com proteção ultravioleta (UV). A luz UV é prejudicial às células da retina, causando o envelhecimento precoce delas. A incidência de raios UV nos olhos podem provocar catarata precoce e desenvolvimento de doenças degenerativas da retina;
  • A baixa umidade do ar causa irritação, ardência e vermelhidão ocular. Ventiladores e ar condicionados devem ser evitados, pois ressecam ainda mais os olhos. Neste caso, o uso de colírios lubrificantes, conhecidos como ‘lágrimas artificias’ é fundamental;
  • Se você precisa de óculos de grau, não deixe de usá-los. Eles evitam problemas oculares e incômodos, como dores de cabeça e cansaço das vistas;
  • Realize consultas oftalmológicas periódicas;

Abaixo, você confere as empresas que apoiam a Sociedade Mineira de Oftalmologia, que visa a mobilização dos colegas, educação médica continuada e a discussão de temas relativos à defesa profissional e ensino no Estado.

PATROCÍNIO OURO:

 

A Genom completa 20 anos de mercado com um crescimento sólido e contínuo, consolidando-se como uma das maiores empresas do setor farmacêutico de Oftalmologia no Brasil. A Genom possui um portfólio que conta com mais de 30 produtos para o tratamento da saúde ocular.

No segmento da Oftalmologia, a Genom ocupa a 1ª posição em prescrição médica nos mercados atuantes. Tem grande abrangência no país, seguindo como compromisso a busca contínua pela melhoria da saúde ocular dos brasileiros, disponibilizando produtos de alta qualidade que atendam às necessidades dos médicos e pacientes.

Saúde ocular, esse é o nosso sentido.

Saiba mais: https://www.genom.com.br/


Em 2020, a AbbVie, empresa biofarmacêutica global baseada em pesquisa, anunciou a aquisição da Allergan. Como parte deste movimento, o Brasil termina a integração das duas empresas em abril de 2023.

Somos uma biofarmaceutica global, com foco em pesquisa. Assumimos alguns dos desafios de saúde mais complexos do mundo e fazemos mais do quer tratar doenças. Nosso objetivo é causar impacto notável na vida das pessoal.

Saiba mais: https://www.abbvie.com.br/


 

PATROCÍNIO PRATA:

 


 

 

Somos a EssilorLuxottica, líder global em design, fabricação e distribuição de lentes oftálmicas, armações e óculos de sol. Formada em 2018 pela combinação da Essilor e Luxottica, nossa empresa combina dois séculos de inovação e esforço humano para elevar o cuidado com a visão e a experiência do consumidor em torno dele.

Somos o lar das marcas de óculos e cuidados com a visão mais amadas e amplamente reconhecidas do mundo.

Conheça: https://www.essilorluxottica.comhttps://global.essilor.com/br


PATROCÍNIO BRONZE:

 


A LatinoFarma conta com um portfólio de 30 marcas em aproximadamente 40 apresentações, com destaque para a nova linha de lágrimas artificiais sem conservantes Lunah e Lunera, além de suplementos oftálmicos, anti-inflamatórios e associações, atendendo às diferentes necessidades de prescrição do médico e do cirurgião oftalmologista.

Saiba mais: https://www.cristalia.com.br/latinofarma

Tem início no dia 13 de março, o VIII Curso de Ciências Básicas em Oftalmologia, promovido pela Sociedade Mineira de Oftalmologia com o apoio da Associação Médica de Minas Gerais.

O Curso tem por objetivo proporcionar ao médico a base fundamental para a compreensão da ciência médica oftalmológica. A programação aborda diversas áreas de interesse como: anatomia prática e teórica, embriologia, farmacologia, fisiologia, genética, histologia, neuroanatomia teórica e prática, patologia ocular, refratometria, urgência e semiologia, dentre outros.

Público- Alvo: oftalmologistas, médicos residentes, especializandos de instituições credenciadas e acadêmicos de medicina

Conteúdo
  • Anatomia
  • Histologia
  • Óptica
  • Refração
  • Patologia
  • Farmacologia
  • Neuroanatomia
  • Genética
  • Órbita
  • Plástica Ocular
  • Biomicroscopia
  • Córnea
  • Embriologia
  • Catarata
  • Bases Cirurgicas
  • Baixa visão
  • Neuroftalmologia
  • Superfície Ocular
  • Glaucoma
  • Retina
  • Imunologia
  • Estrabismo
  • Uveítes
VIII CURSO DE CIÊNCIAS BÁSICAS EM OFTALMOLOGIA – EAD
  • Formato mais leve
  • Aulas no seu próprio ritmo
  • Conteúdo distribuído em módulos
  • Possibilidade de assistir às aulas quantas vezes quiser
  • Video-aulas
  • Módulo Prático (Hand ON) presencial
  • Discussão de casos
  • Avaliações de conhecimento
PREÇO ESPECIAL PARA ACADÊMICOS DE MEDICINA

Estudantes de medicina têm 50% de desconto na inscrição VALOR DO CURSO R$ 800,00.
Após preencher seus dados utilize o cupom SMO50.

Sócios Sammg e Ablao têm ainda mais desconto na inscrição – VALOR DO CURSO R$ 500,00.
Após preencher seus dados utilize o cupom SMO70.

Fique atento!
Para obter o desconto especial será necessário enviar comprovação de matrícula ou declaração de sócio (Sammg / Ablao) para o e-mail eventos@ammg.org.br

Sua inscrição só será efetivada após o envio do comprovante.

CALENDÁRIO

Fevereiro 2024
DSTQQSS
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
  
< Jan Mar >